Tião Nascimento

"Por que a poesia é  o canto da alma"

Áudios

Perdoa-me, mãe
Data: 21/05/2012
Créditos:
Texto - Perdoa-me, mãe
Autor - Tião Nascimento
Voz - do autor

Perdoa-me, mãe


    Vejo você sobre a cama,  silenciosa,olhando para  o mundo que esse mal construiu para você. Seu olhar em busca do nada. Seus gestos apagados nos braços que descansam sobre  o corpo  em dobras que o tempo cuidou  de moldar com suas mãos impiedosas.  
     Seu rosto tem marcas. Cada ruga é um filho que você criou e amou e continua amando, tenho certeza , no seu silêncio. Compreensiva e calma levou a todos uma palavra de carinho e  um gesto de amor. E não foram poucos, seus filhos, mas nenhum deles tem alguma coisa para reclamar de você.
     Você está fugindo devagar, mãe, eu sinto isso.  Eu queria preencher  o vazio que ficou entre nós. Um beijo guardado  nos meus lábios que você nunca me ensinou e lhe dar. O abraço, mãe, que , tenho certeza, você  desejou todas as vezes que eu chegava de minhas andanças. Meus braços ainda se abrem quando estou com você. Mas eu não sei  abraçar você , mãe. Eu Não agasalhei você no inverno da  sua vida que minhas falhas lhe proporcionaram, quando meu pai ignorava você e você , amorosa e carente, se rodeava de seus filhos para preencher  o vazio da sua alma. Não sei se por ignorância, nunca entendi  o quanto você precisava de mim. E nunca abracei você. E nunca aprendi a abraçar você. Não imagina, mãe, o quanto isso me machuca. Queria tanto ter sido um bom filho,.ou pelo menos ser merecedor de lhe chamar de mãe., mas  o mundo era belo e apetitoso e você, preocupada e cheia de amor, ficava sempre para depois.
  Nada lhe dei, mãe. Preocupei-me com coisas materiais como se isso pudesse lhe dizer ” te amo.” Tudo tão supérfluo, mãe. Aqueceria muito mais sua alma o carinho e  o amor que eu não soube lhe dar. Isso talvez, fosse agora,  o trono onde você me olharia com um olhar de rainha, lugar seu. Mas tudo que lhe dei, mãe,o trono  que lhe dei, para esses momentos que a sua vida se definha, foi uma cadeira de rodas.
  Perdoa-me, mãe.

                                                Tião -13.05.2012
    
Enviado por TiaoNascimento em 12/05/2012



Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras